Páginas

sexta-feira, 29 de maio de 2015

CAIM E ABEL


A história de Caim e Abel está relatada no início da Bíblia, no capítulo quatro do livro de Gênesis. Consta que após serem expulsos do Jardim do Éden, Adão e Eva tiveram seus dois primeiros filhos: Caim e Abel.

“E conheceu Adão a Eva, sua mulher, e ela concebeu e deu à luz a Caim, e disse: Alcancei do Senhor um homem. E deu à luz mais a seu irmão Abel; e Abel foi pastor de ovelhas, e Caim foi lavrador da terra” (Gn 4,1:2).

A palavra “conhecer” neste contexto é utilizada para expressar a intimidade sexual, ressaltar os primeiros nascimentos decorrentes da ação divina na criatura humana, a vinda de filhos gerados na esfera da carne de um homem e de uma mulher; sendo que o primeiro casal (Adão e Eva) haviam sido formados diretamente na ação do próprio Deus.

De acordo com as escrituras, naquele tempo, eles praticavam atos de adoração ao Senhor sacrificando parte de suas produções. E toda vez que faziam a oferta ao Senhor, Este agradava das que Abel oferecia e não se agradava das ofertas de Caim. Isso se justifica pelo fato de que Abel oferecia as primícias, ou seja os primeiros e melhores frutos para serem dedicados a Deus, indicando o coração voltado a Ele, colocando o seu Senhor em primeiro lugar. Em seu caso, a melhor ovelha. Enquanto Caim oferecia o que restava da colheita, o que tornou seu ato de ofertar ao Senhor como um ato de formalidade, um ato sem importância. O resultado disso foi que o Senhor agradou da oferta de Abel e não se agradou da oferta de Caim.

Não bastasse colocar o Senhor em segundo plano, a história relata que Caim invejou o irmão, vindo a fazer aquilo que seria o primeiro homicídio: Caim matou Abel. “E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra o seu irmão Abel, e o matou” (Gn 4:8)

Em seguida, o Senhor fala diretamente a Caim, e o repreende: “E disse Deus: Que fizeste? A voz do sangue do teu irmão clama a mim desde a terra. E agora maldito és tu desde a terra, que abriu a sua boca para receber da tua mão o sangue do teu irmão. Quando lavrares a terra, não te dará mais a sua força; fugitivo e vagabundo serás na terra” (Gn 4,10:12).

Em vista disso, Caim admite sua condenação e responde ao Senhor: “Então disse Caim ao Senhor: É maior a minha maldade que a que possa ser perdoada. Eis que hoje me lanças da face da terra, e da tua face me esconderei; e serei fugitivo e vagabundo na terra, e será que todo aquele que me achar, me matará” (Gn 4, 13:14).

Após relatar esse diálogo, há o relato de que apesar de não aprovar atitude Caim, o Senhor agiu de misericórdia e colocou nele um sinal, para que não fosse ferido de morte por quem o encontrasse. E assim, saiu Caim diante da face do Senhor e morou na terra de Node, do lado oriental do Éden, vindo a ter mulher e filho chamado Enoque e ainda, edificar uma cidade.

Ainda no livro de Gênesis, há um relato sobre a genealogia de Caim, citando os nomes dos descendentes de Enoque, e revelando inclusive que Adão e Eva tiveram mais filhos, entre eles o chamado Sete, pois segundo Eva “Deus me deu outro filho em lugar de Abel; porquanto Caim o matou” (Gn 4:25).

FONTE: http://www.infoescola.com/biblia/caim-e-abel/