Páginas

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

CORVOS OU ÁRABES?


https://marcelomapa.files.wordpress.com/2013/01/elias-alimentado-pelos-corvos1.jpg
Os corvos lhe traziam pão e carne de manhã e de tarde, e ele bebia água do riacho. 1 Reis 17:6

As hipóteses dos corvos mencionados em 1 Reis 17:6 serem homens e não aves, segundo supõe alguns, que comparam a palavra usada em 1 Reis 17:6 com a palavra utilizada em Ezequiel 27:27 referente aos comerciantes, e ainda com as palavras usadas em 2 Crônicas 21:16 e Neemias 4:7, referente aos árabes, ou mesmo com os cidadãos de Arabá, região próxima de Bete-Hogla (Josué 15:6; 18:18), precisam ultrapassar alguns obstáculos hermenêuticos:

Obstáculo gramatical:
Embora as palavras utilizadas nos versos de 1 Reis 17:6; 2 Crônicas 21:16 e Neemias 4:7, apresentem alguma aproximação gramatical, são palavras distintas:

1 Reis 17:6 – corvos (ערב)
Crônicas 21:16 e Neemias 4:7 – árabes (ערבי)

A palavra: ערב utilizada dezesseis vezes no A.T., e em todas elas, é utilizada em referência a animais imundos na tradição judaica. E mesmo as suas congêneres gregas, que aparecem três vezes no N.T., são utilizadas com o mesmo sentido.
Já a palavra: ערבי aparece nove vezes no A.T., em todas elas é utilizada em referência a homens de origem árabe. No N.T. a palavra congênere aparece uma vez, em Atos 2:11, também com o mesmo sentido.

Obstáculo geográfico:
A região proposta pelos defensores do sentido humano da palavra corvo, onde possivelmente habitavam os cidadãos de Arabá, embora muito próxima, está distante aproximadamente vinte e sete quilômetros de Querite, onde Elias recebeu seu alimento diário.
Os corvos eram aves comuns na região de Querite, estudiosos acreditam que pelo menos oito espécies de corvos habitavam a região.

Obstáculo da falta de apoio consistente:
Além dos obstáculos acima, há ainda o obstáculo da falta de apoio consistente de estudiosos renomados pela coerência bíblico-teológica. Jameison-Faussett-Brown escreveu: “A ideia de tais aves impuras e vorazes sendo usadas para alimentar o profeta apareceram a muitos tão estranho que eles têm trabalhado para fazer com que a palavra ערב que em nossa versão foi traduzida por “corvos”, passe a ser usada como (em Ezequiel 27:27) comerciantes, ou árabes (2 Crônicas 21:16, Neemias 4:7), ou, os cidadãos de Arabá, perto de Bete-Hogla (Josué 15:06, 18:18). Mas o uso comum, corvos, é, em nossa opinião, de preferência a essas conjecturas. E, se Elias foi milagrosamente alimentado por corvos, é inútil perguntar onde encontraram o pão e a carne, pois Deus iria dirigi-los.”

E ainda podemos encontrar Keil & Delitzsch no Commentary on the Old Testament dizendo: “…não significa nem árabes ou os habitantes de uma cidade imaginária chamada Orebe, mas corvos. Através deste milagre, que os incrédulos rejeitam, porque eles não reconhecem um Deus vivo, por quem, como o Criador e Senhor de todas as criaturas, até mesmo os corvos vorazes são feitas subserviente a seus planos de salvação…”.

Fonte:https://verdadenapratica.wordpress.com/2013/10/08/corvos-ou-homens-1-reis-176/