Páginas

sexta-feira, 15 de novembro de 2013

O PERIGO DA NEO-ORTODOXIA


Karl Barth

A Neo-Ortodoxia, conhecida também como barthianismo, é um modelo teológico de Karl Barth, um grande filósofo alemão que viveu entre os anos de 1886 a 1968. Sua teologia trata de vários assuntos e chegam a ser vastos, porém o tema de Barth que mais nos chama a atenção para que possamos pensar e analisar melhor antes de consolidarmos em nossas vidas é quando o alemão trata da Bíblia.

Karl Barth dizia que a única revelação de Deus aos homens foi Jesus. Só Ele é a Palavra de Deus. Foi através de Cristo somente que Deus comunicou-se com o ser humano. Dizia Barth que quando o Verbo se fez carne Deus-homem se manifestou ao mundo.

Dando como partida esse plano barthiano surge o pensamento de que a Bíblia não é a Palavra de Deus, pois só Cristo é. Barth também era do pensamento que as Escrituras não eram inspiradas por Deus e cria que ela não era infalível.

O mais engraçado de tudo isso é que a Neo-ortodoxia prega que devemos respeitar a Bíblia, pois ela pode se tornar a Palavra de Deus caso Cristo queira se comunicar conosco através dela. Que engraçado não acham? O que vimos aqui é uma teologia que não crê na Palavra de uma forma objetiva, mas sim em um sentido subjetivo e existencial.

Ainda bem que até hoje eu não vi nenhuma igreja que seja de uma forma bem direta ligada ao neo-ortodoxismo, porém muitos já semearam esse tipo de pensamento. Aos poucos, até mesmo de uma forma imperceptível, essa doutrina tem sido aceita.

Contra esse tipo de pensamento, podemos mostrar através da própria Palavra de Deus, que por eles são rejeitadas, que Ela é inspirada por Deus.

Vejamos o que diz em 2Timóteo 3.16,17:
"Toda a Escritura divinamente inspirada é proveitosa para ensinar, para redargüir, para corrigir, para instruir em justiça; para que o homem de Deus seja perfeito, e perfeitamente instruído para toda a boa obra."

Pedro em sua epístola se aprofunda muito mais:
"Sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação. Porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo."

Faço das palavras de João Calvino as minhas: "SOLA SCRIPTURA"

O pensamento calvinista trazia a idéia de que a Escritura interpreta a própria Escritura e de ela era suficiente como única fonte de doutrina e prática da Fé cristã em todos os aspectos.

Aconselho a todos que meditam na Palavra para buscarem o auxílio do Espírito Santo. Sem Ele não existe revelação.

Respeito Karl Barth e até concordo com muitas coisas que esse homem pregou. Mas lamento muito, pois EU CREIO NA PALAVRA DE DEUS E QUE ELA É INSPIRADA!