Páginas

sexta-feira, 26 de abril de 2013

A FORMAÇÃO DO CÂNON BÍBLICO



 

Qual é o significado da palavra cânon?  
Cana, regra, vara de medir. (Gl 6:16).

O que são livros canônicos?
Livros canônicos são aqueles que se conformam com a regra ou padrão da inspiração e autoridade divinas.

Qual é o significado de apócrifo?
Oculto, espúrio.

O que são livros apócrifos?
São livros ou pedaços de livros de valor histórico ou literário, incluídos no cânon do AT da Septuaginta, porém não aceitos pelo cânon judaico.

A História do cânon do AT.

Os autores sagrados receberam suas revelações e/ou visões da parte de Deus e as comunicaram verbalmente, foram contudos orientados a registrarem de forma  escrita aquelas mensagens para a posteridade.  (Ex 17:14; 24:04,7 ; 34:27-28; Nm 33:02; Dt 3:22,24 ; Js 1:08; I Rs 4:1-3; I Cr 29:29; Is 30:08; Jr 30:02; 36:2-4; At 7:38.

O Cânon não é o produto de uma reunião conciliar, num determinado momento histórico, mais foi um gradual, reconhecimento de autoridade divina pelos judeus e então esta coleção de livros foi agrupada e fixada pela Igreja.

Quais princípios os hebreus usavam de guia para a determinação da canonicidade de um determinado livro?

1-    Tem autoridade divina? É um assim diz o senhor?
2-    Foi escrito por um homem de Deus? É autêntico?
3-    Tem poder para transformar vidas?
4-    Foi aceito pelo povo de Deus, lido e usado como regra de vida e fé?
5-    Tem o testemunho do próprio Deus?

A cronologia de canonização das Escrituras hebraicas:

1)    Os primeiros livros reconhecidos como sagrados são os que compõe a Lei, sendo eles os únicos livros que compõe o cânon Samaritano.
2)    Os próximos livros a serem canonizados foram as profecias, que registradas, provaram ser divinas ao se cumprirem (Jr 36:06; Zc 1:4-6;7:7)
3)    Na época do silêncio profético (após 400 anos AC), muitos livros históricos e poéticos circulavam entre os judeus. Alguns reconhecidamente sagrados, outros reconhecidamente espúrios e pouco duvidosos. A aceitação destes livros pelos judeus seguia alguns critérios.
·         Está em conformidade doutrinária com a Lei?
·         É fiel historicamente?
·         Foi escrita até Malaquias?

Outras considerações:

1)    Por volta de 250 aC., na versão do AT hebraico para o grego foram incluídos alguns destes livros ainda postos em dúvida. Mais tarde no entanto, os judeus claramente os rejeitaram, porém os helênicos já os consagrara em seu cânon. Deste cânon “Septuaginta” proviria a Vulgata Latina de Jerônimo, e mais tarde a versão Católica.
2)    Jerônimo, entre 385 a 405 AD, traduziu para o latim (Vulgata Latina) a versão da septuaginta que se tornou a versão Católica Romana. Na Reforma, Lutero foi ao hebraico e surpreendeu-se ao não encontrar os apócrifos, fazendo então uma nova versão para o alemão do cânon judeu.
3)    Em 1546, no Concílio de Trento, como Contra-reforma, os católicos confirmaram o cânon da vulgata latina como sagrado.